domingo, 4 de novembro de 2007

Feira de Castro Verde

Exposição: Texto Expositivo-Informativo
"Feira de Castro Verde"

A feira de Castro Verde é uma das maiores e mais antigas que se realizam no sul do país. Tem lugar no 3º fim-de-semana de Outubro, sendo o Domingo o dia principal da feira.
Em tempos, a chegada da feira de Castro era a tão aguardada festa que agitava anualmente o comércio do campo branco, em que o povo da vila e dos mais longínquos lugares do país vinham conviver e onde os nossos pastores e agricultores se vinham abastecer de provimentos e das mais variadas ferramentas para enfrentarem, desse modo, mais um ano de intenso e árduo trabalho. Nesta altura, os feirantes e negociantes de gado instalavam-se em Castro Verde, em casas particulares durante pelo menos uma semana, porque não havia a facilidade dos meios de transporte de hoje, daí que os mais velhos digam que a feira de Castro já não é o que era. Apesar dos novos tempos há tradições que a feira guardou: o polvo assado, a senhora das benzeduras, o homem dos cajados, as batatas doces cozidas...Continua a ser a grande feira do sul, apesar desta se ter “modernizado”, continuando a ser um dos maiores acontecimentos da nossa região, onde o visitante não ficará certamente indiferente a esta autêntica “romaria”.
A feira é um local onde se pode apreciar e adquirir quer o artesanato típico, quer a gastronomia da região, quer os sabores doces e, os frutos secos que tornam a nossa feira num verdadeiro tributo ao paladar.
O cheiro tão característico das castanhas assadas, que anunciam o Inverno rigoroso que não demora a sentir-se, as farturas que olham impacientemente para os visitantes, na esperança destes as levarem, o algodão doce que faz a delícia dos mais pequenos.
A feira de Castro é um local de encontro de gerações e etnias, onde nestes dias, a vila fervilha de ciganos, desalinhados e irreverentes, prontos a vender gato por lebre, africanos a venderem bonitos artefactos e peças decorativas de madeira e marroquinaria e chineses que nos trazem tecnologia barata de pôr os olhos em bico.
O som dos comerciantes a apregoar os seus produtos contrasta com o som da música que se começa a ouvir pelas ruas, das modas alentejanas cantadas alegremente pelos grupos corais da planície, das bandas filarmónicas que dão à feira uma intensidade e personalidade próprias e ao som da viola campaniça e do cante de baldão, capaz de inspirar os melhores trovadores a puxarem pela voz.
A feira de Castro é assim, a maior feira do sul do país e das que tem maior tradição, um evento único no Alentejo e que de certeza lhe irá deixar alguma saudade no coração.
Até para o ano!


Plano-Guia

Introdução:

  • Pequena descrição da feira

Desenvolvimento:

  • Tradição: Será que se está a perder?
  • A feira
    -Paladares
    -Tradição
    -Atesanato
    -Música
    -Cultura

Conclusão:

  • Convite a visitar a feira

um pequeno aparte para quem gosta de poesia popular :)

Quadra alusiva à feira

Adeus ó feira de Castro

Que de longe te estou vendo

Já levo a ponta do pau gasto*

E as bordas do cu ardendo**



(A quadra da ironia e brejeirice popular em honra da feira, tal era o gozo)

* O pau era o cajado de guardar o gado

** As bordas do cu ardendo de tanto estar sentado na festança

Publicado por Duarte Luís

11 comentários:

Professor disse...

o seu texto apresenta momentos de prosa que agarram e deliciam o leitor. O penúltimo parágrafo apresenta algumas frases e ideias soberbas. É pena que por vezes se perca o fio condutor do texto.

Tem talento para a escrita, espero que o use.

A Magia do Nosso Português disse...

Olá

Após a leitura de todos os textos sobre a Feira de Castro, reflectimos e decidimos em grupo escolher este texto para ser publicado num jornal da região. A nossa escolha recaíu sobre este texto, devido a ter uma escrita simples, regular e explícita. Gostamos da maneira como traduziste em palavras os teus pensamentos sobre a Feira.

As alunas: Ana Afonso, Helena Coelho, Lúcia Coelho, Natália Cordes, Vera Marques.

Perdidos na Teia disse...

Na minha perspectiva este texto é o melhor, uma vez que o leitor consegue facilmente visualizar e imaginar o que tu descreves tão bem por palavras.

Ana Nunes

Perdidos na Teia disse...

Gostei da maioria de todos os textos, mas este especialmente foi o que mais me suscitou o interesse, sendo assim é neste que voto.
Rafael Mamede

Perdidos na Teia disse...

Este foi o texto que mais me prendeu a a atenção. É na minha opiniao o melhor texto, pois relata o que é a feira de castro de uma forma bastante interessante.

Rui Ribeiro

Perdidos na Teia disse...

Para mim, este é o melhor texto! Gosto da forma como escreves e relatas a feira de Castro.

Raquel Pardal

Voo da Sabedoria disse...

Eu considero que esta é a melhor produção escrita relativamente ao tema proposto

A aluna:
Vânia Palma

Valeriano disse...

Considero esta a melhor publicação escrita, porque fez-me ver como é realmente a Feira de Castro, fez ver a alguém de fora que a feira é mais que os carrinhos de choque, é uma tradição que se deve manter.
Continua o bom trabalho

Ass.:Valeriano

100 Linhas disse...

Penultima frase cativante, tem o meu voto ! :D
O professor tem razão, com alguns toques ficaram melhor mas isso e outra questão !

Nuno Matos

Voo da Sabedoria disse...

Eu considero que esta é a melhor produção escrita.


Angélica Vasconcelos

Professor disse...

Avaliação do texto:

Muito Bom


Professores: Paulo e Alice